Santuário Cristo RedentorUm dos maiores ícones mundiais, agora mais perto de você.https://cristoredentoroficial.com.br/Iluminação Azulhttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-azulllhttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-azulllNa terça-feira, das 19h às 20h, o Monumento ao Cristo Redentor irá receber iluminação especial na cor azul em homenagem ao Dia Nacional dos Surdos. <br><br> <p><br></p>Tue, 26 Sep 2017 00:00:00 -0300Operários da Vinhahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/operarios-da-vinhahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/operarios-da-vinha<p>    No último domingo de Setembro, celebramos o Dia Nacional da Bíblia, próximo da Festa de São Jerônimo, patrono dos estudos bíblicos. Neste XXV Domingo do tempo comum somos convidados a conhecer e amar os Livros Santos, por meio da leitura atenta e piedosa, vivenciando o que Deus mesmo nos ensina nas Sagradas Escrituras.<br><span style="color: inherit;">    Na primeira leitura (Is 55, 6-9) o profeta diz aos israelitas exilados na Babilônia e a todos os que continuam pensando como eles: Convertei-vos, mudai a vossa forma de pensar! Logo em seguida o próprio Senhor toma a palavra e explica o motivo pelo qual ele se comporta de forma inesperada com aqueles que erraram: “É que os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, os vossos caminhos são diferentes dos meus. Tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e os meus pensamentos ultrapassam os vossos" (Is 55, 8-9b). O profeta convida-nos, dirige-nos um apelo para que busquemos o Senhor, o invoquemos, voltemos para ele. Eis aqui, caríssimos, um grito tão necessário nesses tempos do homem cheio de si, preocupado consigo, embriagado pelos seus próprios feitos e tão confiado em suas próprias ideias! O profeta grita quase que nos prevenindo, ameaçando-nos: “Buscai o Senhor; invocai-o! Que volte para o Senhor!”.<br></span><span style="color: inherit;">    A segunda leitura (Fl 1, 20c-24.27ª) mostra que Carta aos Filipenses revela as emoções do coração de Paulo. Ele suportou muitos sofrimentos e muitas contrariedades; agora se sente bastante cansado e começa a pensar sempre com maior frequência no encontro definitivo com aquele Jesus ao qual dedicou a sua vida. Deseja morrer para estar sempre com Cristo, mas este desejo contraria um outro: gostaria também de continuar trabalhando para a difusão do Evangelho e para consolidar as comunidades que fundou. Nós não podemos merecer nada diante de Deus, dele somente podemos receber dons e agradecer… Por que não alegrar-se, por que não ficar feliz, se um dia, mesmo quem tenha errado e errado por completo na vida, recebe de Deus o dom da salvação?<br></span><span style="color: inherit;">    O Evangelho (Mt 20, 1-16ª) apresenta a parábola que representa muito para as nossas comunidades. Na Igreja não deve haver aqueles que exigem mais “porque chegaram antes”. Ninguém deve sentir-se um “veterano” porque se converteu antes a Cristo. Todos são iguais, operários da vinha e se encontram no mesmo nível: não há motivos para superioridade. A reação que atribuirmos aos operários da parábola reproduz a nossa reação diante da bondade e da generosidade de Deus. Na “vinha do Senhor” trabalha-se gratuitamente, não se trabalha para ter um salário maior, não se pratica o bem em favor do irmão para ter o direito a um prêmio no céu. Seria egoísmo imperdoável servir-se do irmão pobre e necessitado para acumular méritos diante do Deus, O cristão deve amar porque descobriu o dom de amar desinteressadamente, como o Pai. Fazer o bem pela graça de fazer o bem.<br></span><span style="color: inherit;">    O Senhor nos procura, como o dono da vinha do Evangelho deste domingo – e com insistência: sai de madrugada à nossa procura, porque o amor tem pressa, o amor anseia encontrar a pessoa amada. E, como o amor é insistente, o Senhor vem sempre, a cada momento, em cada ocasião, sempre à nossa procura: pelas nove, ao meio-dia, pelas três… e até mesmo às cinco da tarde, quando o sol já se esconde, o Senhor vem novamente! Sempre é tempo de conversão, sempre é tempo de voltar para o Senhor! Aí, então, experimentaremos que tudo é graça, que o pensamento de Deus para nós é amor que não é mesquinho, que sabe tratar a todos com generosidade, fazendo primeiro no seu Reino aquele que tem coragem de crer no amor, de ir ao encontro do Senhor mesmo que seja a última hora! Voltemo-nos para o Senhor! A única coisa que nos pede é que acreditemos no Seu amor generoso e no Seu perdão abundante e nos convertamos de todo o coração!<br></span><span style="color: inherit;">    Este Evangelho nos mostra que o importante não é ter trabalhado dez ou apenas uma hora, o importante é ter aceitado o convite com todo o coração, dedicando-nos inteiramente àquilo para que fomos convidados. Os que estavam na praça às cinco da tarde poderiam também ter dito que não valia mais a pena ir até à plantação. O importante é que se acredite e assuma o chamado e que se comunique a alegria de pertencer aos operários da vinha do Senhor. </span></p><div><br></div>Thu, 21 Sep 2017 10:42:23 -0300Santuário Cristo Redentor abre conferência sobre prevenção e combate à corrupçãohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/santuario-cristo-redentor-abre-conferencia-sobre-prevencao-e-combate-a-corrupcaohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/santuario-cristo-redentor-abre-conferencia-sobre-prevencao-e-combate-a-corrupcao<p><span style="font-weight: bold; font-style: italic;">  *Por Aline Soares</span></p><p>  Na terça-feira, 19 de setembro, um “não” à corrupção foi dito no alto do Corcovado. O monumento ao Cristo Redentor recebeu iluminação especial nas cores verde e amarela para abrir a V Conferência Internacional na Prevenção e Combate à Corrupção. Em apoio à conferência, que ocorre nos dias 20 e 21 de setembro, além da iluminação do Redentor, a pré-abertura contou com uma missa de Ação de Graças celebrada pelo reitor do Santuário, Padre Omar Raposo, na capela de Nossa Senhora Aparecida, localizada embaixo do Monumento.<br><span style="color: inherit;">    O evento foi uma iniciativa da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), em parceria com o Instituto Brasileiro de Direito e Criminologia (IBDC) e com a Comissão Especial Anticorrupção, Compliance e de Controle Social dos Gastos Públicos (CSGP). O diretor do Instituto Brasileiro de Direito e Criminologia e coordenador do evento, Ubirajara Chagas Favilla, se emocionou ao declarar que não imaginava que a Conferência chegaria à quinta edição, celebrada no Santuário Cristo Redentor.<br></span><span style="color: inherit;">    – Nós fizemos outras conferências, sobre outras áreas, como segurança, educação, e surgiu a ideia de fazer sobre corrupção. Eu sou um cidadão comum, membro da sociedade, que resolveu comprar uma briga, lutar por todos. A corrupção tira dinheiro de muitas coisas e atinge a todos nós. Ela mata e muito. Jesus pregava a colaboração, a integração e o bem de todos para todos. É isso o que eu espero no combate à corrupção, que todos estejam unidos, integrados, como sempre Jesus Cristo pregou, disse Favilla.<br></span><span style="color: inherit;">    O diretor Regional da Associação dos Delegados de Polícia Federal, Luiz Carlos de Carvalho Cruz, também presente na cerimônia, esclareceu que a Conferência não se trata apenas de um evento meramente jurídico, mas sim de um convite à participação do povo brasileiro.<br></span><span style="color: inherit;">    – O Cristo Redentor, como bem frisado, na cerimônia religiosa, pelo Padre Omar, é um símbolo universal. O mundo inteiro reconhece o Brasil pelo Redentor. Este é para nós um momento ímpar, em que podemos nos energizar para que nossa iniciativa não se resuma apenas ao Rio de Janeiro ou às Instituições, mas que se torne uma batalha universal do bem contra o mal, desejou o diretor.<br></span><span style="color: inherit;">    Para o reitor do Santuário, o evento foi um momento especial de celebração, que cumpriu com o objetivo de fortalecer a integração entre as instituições, unindo-as em função do bem comum.<br></span><span style="color: inherit;">    – Sem duvida nenhuma, o Redentor, iluminado com as cores especiais da bandeira do nosso país, faz com que, de fato, a gente possa recuperar nossa identidade cívica e trazer os valores pertinentes à dinâmica espiritual e moral. Esta bela parceria com a Associação de Delegados da Polícia Federal reforça o nosso compromisso com a ética e com um Brasil livre da corrupção, disse Padre Omar.<br></span><span style="color: inherit;"><br><span style="font-weight: bold;">Sobre a V Conferência Internacional na Prevenção e Combate à Corrupção<br></span></span><span style="color: inherit;"><span style="font-weight: bold;"><br></span>    O evento, realizado pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), em parceria com o Instituto Brasileiro de Direito e Criminologia (IBDC) e a Comissão Especial Anticorrupção, Compliance e de Controle Social dos Gastos Públicos (CSGP), será sediado no Salão Nobre Modesto da Silveira da OAB-RJ e terá entre os palestrantes o presidente da ADPF, Dr. Carlos Eduardo Sobral.<br></span><span style="color: inherit;">    Serão 16 painéis durante os dois dias de programação abordando temas como Combate à corrupção: panorama, prevenção, controle e desafios; Operação lava jato: investigação, resultados e percepção da sociedade; Lavagem de dinheiro: investigação, recuperação dos ativos e cooperação internacional; e A nova lei de abuso de autoridade: análise e comentários.<br></span><span style="color: inherit;">    Entre outras ações está o lançamento da série de livros "Doutrina e Prática - A Visão do Delegado de Polícia”; a exposição de charges de artistas sobre a corrupção e o lançamento do livro do Jurista Luiz Flávio Gomes, "O Jogo Sujo da Corrupção".</span></p><p><span style="font-style: italic;">(Fonte: Site da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal – http://adpf.org.br)</span></p><div><span style="color: inherit;"></span><br></div><div><span style="color: inherit;"><br></span></div><div><span style="color: inherit;">*Fotos: Aline Soares e J.Lucena</span></div>Wed, 20 Sep 2017 12:40:50 -0300Ação de Amor do Cristo Redentor em prol do Dia Mundial de Limpezahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/acao-de-amor-do-cristo-redentor-em-prol-do-dia-mundial-de-limpezahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/acao-de-amor-do-cristo-redentor-em-prol-do-dia-mundial-de-limpeza<p>   <span style="font-weight: bold; font-style: italic;"> * Por Aline Soares</span></p><p>    No sábado, 16 de setembro, o projeto social Ação de Amor do Cristo Redentor promoveu um mutirão de limpeza na praia do Leme, próximo ao Quiosque Divo, em prol do Dia Mundial de Limpeza. Esta foi a 15ª edição da ação global conhecida como Clean Up The World (CUW), que ocorreu simultaneamente em diversas localidades no Brasil.<br><span style="color: inherit;">    O Quiosque Divo, também conhecido como o Quiosque do Cristo Redentor, foi o novo ponto de encontro do Movimento no Leme. O evento contou com a presença do secretário municipal de Conservação e Meio Ambiente Rubens Teixeira, do subsecretário Justino Neto, de uma equipe da Universidade Veiga de Almeida e de voluntários, que, juntos, fortaleceram a Ação de Amor pelo meio ambiente. <br></span><span style="color: inherit;">    – Nosso planeta pode ser melhor se cada um fizer sua parte. Foram toneladas de lixo recolhidas neste dia. Um ponto bastante interessante foi entender que o micro lixo (guimba de cigarro, canudo, tampinha) que as pessoas pensam que não danifica o meio ambiente, por ser pequeno, na verdade, é o grande lixo hoje encontrado nas praias, contou a coordenadora de projetos da Ação de Amor do Cristo Redentor, Silvia Gonzaga.<br></span><span style="color: inherit;"><br><span style="font-weight: bold;">Sobre o Clean Up The World</span></span></p><p><span style="color: inherit;">    O projeto, que envolveu 35 milhões de pessoas em mais de 125 países, firmou o compromisso de possibilitar assistência aos mais necessitados, por meio de mutirões de serviços sociais itinerantes, voltados para o atendimento da população carente de diversas regiões da cidade do Rio de Janeiro. O tema escolhido para 2017 pela Organização das Nações Unidas (ONU), pela Unidade de Ensino e Pesquisa Integralizada (UNEP) e pela própria ONG Clean Up The World foi “Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento”.<br></span><span style="color: inherit;">    O presidente do Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Rio de Janeiro (SEAC-RJ), Ricardo Garcia, esclareceu que somente através do exercício da cidadania a população irá criar o hábito de também fazer a sua parte.<br></span><span style="color: inherit;">    – Como empresários do setor de asseio e conservação, temos o dever junto à sociedade de gerar novas atitudes para a preservação ambiental. No Rio, infelizmente, ainda são muitos os problemas, como a poluição da Baía de Guanabara e da orla de algumas praias cariocas. Permanece o hábito de acumular lixo nas areias das praias, o que gera doenças para os frequentadores e inúmeros prejuízos para a vida marinha, declara Ricardo. </span></p><div><span style="color: inherit;"></span><br></div><div><span style="color: inherit;"><br></span></div><div><span style="color: inherit;">*Fotos: Silvia Gonzaga</span></div>Mon, 18 Sep 2017 18:50:29 -0300Perdoar semprehttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/perdoar-semprehttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/perdoar-sempre<p>    Neste último final de semana, ao celebramos o XXIV Domingo do Tempo Comum recordamos a importância de uma nova ordem para deter a espiral da violência no mundo: o perdão! Nesse domingo a liturgia nos falou da realidade do perdão. No Evangelho, Pedro faz uma pergunta: "Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?". Jesus vai responder que deve-se perdoar sempre: setenta vezes sete.<br><span style="color: inherit;">    O verdadeiro rosto de Deus é o do Pai misericordioso e que mostra que é esse o caminho da vida cristã! Com a medida que medirdes, sereis medidos.<br></span><span style="color: inherit;">    A primeira leitura Eclo 27,33-28,9 – apresenta que o mundo antigo era um mundo de guerras e vinganças e os Israelitas, perseguidos, sonhavam com a vingança contra seus inimigos. Mas o profeta recorda que o rancor e a raiva são coisas detestáveis! (…) Pensa na Aliança do Altíssimo e não leves em conta a falta alheia!”.<br></span><span style="color: inherit;">    Na segunda leitura Rm 14,7-9 – O Apóstolo Paulo recorda-nos que pertencemos ao Senhor e, por isso, vivamos em paz para a glória do próprio Deus!  Deus não alimenta o ódio, mas o perdão! O perdão é a expressão maior do amor. É aceitar e querer bem ao próximo assim como ele é; é agir como Deus; é agir a exemplo de Cristo. Perdoando, é para o Senhor que vivemos e para o Senhor que morremos (cf. Rm 14, 7-9).<br></span><span style="color: inherit;">    O Evangelho Mt 18,21-35 – ensina que todos somos devedores de Deus e não cobradores de nossos irmãos! E na oração do “Pai nosso”, damos a Deus o metro para medir o perdão que d’Ele esperamos!  “Perdoai a nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido!” Pensemos na vida eterna e sejamos generosos no perdão em nossa vida diária.<br></span><span style="color: inherit;">    O Senhor Jesus nos adverte que o perdão deve ser dado sempre porque o coração do Pai, como o do rei da parábola, é assim: cheio de compaixão, capaz de perdoar toda a dívida. Jesus começa dizendo que o Reino dos Céus é assim: o reinado de um rei que é Pai e perdoa. Ora, o Pai somente reina no coração de quem perdoa como ele mesmo perdoa, como ele mesmo nos perdoou e acolheu em Jesus, que morreu e ressuscitou para ser o perdão de Deus para nós! Eis o que é a Igreja: o espaço, o ambiente no qual o reinado de Deus deve manifestar-se no mundo; lugar da misericórdia, do acolhimento, do amor, do perdão mil vezes, da esperança que não desiste, da doçura aprendida e bebida daquele Coração aberto na cruz.<br></span><span style="color: inherit;">    Perdoar agrada muito a Deus porque nos faz semelhantes a Ele. Deus perdoa sempre! Não importa quantas vezes peçamos perdão e nem importa se são os pecados de sempre, se estamos arrependidos o Senhor nos perdoará. É o que experimentamos no sacramento do perdão e da alegria, na confissão. Santo Agostinho, pensando no pecado de Judas, escreveu: “se ele tivesse orado em nome de Cristo teria pedido perdão, se tivesse pedido perdão teria esperança, se tivesse esperança teria esperado na misericórdia e não teria se enforcado desesperadamente”. Não temos motivo para desesperar-nos.<br></span><span style="color: inherit;">    Somos convidados pelo Senhor a sempre viver e praticar o perdão. Deus é misericordioso e assim também devemos agir com misericórdia diante de nossos do nosso próximo. Perdoar é um ato de acolher e de amar. Por isso, olhando para Jesus saibamos apreender a ser sinal de misericórdia para tantos que vivem no rancor e no ódio.</span></p><div><br></div>Mon, 18 Sep 2017 15:02:18 -0300Cristo Redentor laranja pelo Dia Mundial do Doador de Medula Ósseahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/cristo-redentor-laranja-pelo-dia-mundial-do-doador-de-medula-osseahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/cristo-redentor-laranja-pelo-dia-mundial-do-doador-de-medula-ossea<p>  No sábado, 16 de setembro, o Monumento ao Cristo Redentor recebeu iluminação especial, no tom laranja – cor-símbolo do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME/INCA) –, em prol do Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. A data, celebrada sempre no terceiro sábado de setembro, foi criada pela World Marrow Donor Association (WMDA), que reúne os registros de medula óssea de 52 países.<br><span style="color: inherit;">    A iniciativa, promovida pela Arquidiocese do Rio de Janeiro, a Associação Pró-Vita – Transplante de Medula Óssea e o REDOME/INCA, visou incentivar os apoiadores da ação a publicarem fotos em suas redes sociais com as hashtags #thankyoudonor e #wmdd2017, a fim de divulgar a importância da doação de medula óssea e da atualização do cadastro de doadores já inscritos. A ação foi fundamental, visto que 30% dos doadores em potencial que apresentam compatibilidade com algum paciente não são encontrados – muitos cadastrados há mais de 20 anos.<br></span><span style="color: inherit;">    O Brasil é o único país da América Latina a comemorar a data e a unir esforços em prol dos doadores de medula. Em 2016, o país venceu o Grand Prize WMDD de melhor campanha realizada, concorrendo com mais de 40 nações.<br></span><span style="color: inherit;"><br><span style="font-weight: bold;">Sobre o REDOME<br></span></span><span style="color: inherit;">O REDOME foi criado em 1993, é coordenado tecnicamente pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) e tem a sua operação realizada pela Fundação do Câncer. O Banco é o terceiro maior do mundo e possui mais de quatro milhões de doadores cadastrados.</span></p>Mon, 18 Sep 2017 13:45:22 -0300Redentor apagado por 10 minutoshttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/redentor-apagado-por-10-minutoshttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/redentor-apagado-por-10-minutosNa segunda, das 19h às 19h10, o Monumento ao Cristo Redentor terá sua iluminação apagada em homenagem ao Apoio ao Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma – um tipo de câncer ocular que começa na parte de trás do olho (retina), principalmente em crianças. <br><br> <p><br></p>Mon, 18 Sep 2017 00:00:00 -0300Iluminação Vermelhahttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-vermelhahttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-vermelhaNo sábado, o Monumento ao Cristo Redentor irá receber iluminação especial das 19h às 20h para comemorar e celebrar o Dia Internacional do Doador de Medula Óssea. <br><br> <p><br></p>Sat, 16 Sep 2017 00:00:00 -0300Cristo Redentor pela prevenção ao suicídiohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/cristo-redentor-pela-prevencao-ao-suicidiohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/cristo-redentor-pela-prevencao-ao-suicidio<p>    No domingo, 10 de setembro, o Monumento ao Cristo Redentor recebeu iluminação especial na cor amarela em alerta ao Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data fez parte do Movimento Setembro Amarelo, criado há dois anos. A iniciativa visou chamar a atenção para o suicídio – um problema de saúde pública, que, silenciado pelo tabu, cresce em número de vítimas.<br><span style="color: inherit;">    Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 32 brasileiros suicidam por dia, taxa superior à das vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Por se tratar de um mal silencioso, as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de alguém próximo que possa estar com ideias suicidas.<br></span><span style="color: inherit;">    A esperança está no fato de que nove em cada 10 casos podem ser prevenidos. Para que esses números se tornem realidade, é necessário que a pessoa busque ajuda e atenção de quem está à sua volta.<br></span><span style="color: inherit;"><br><span style="font-weight: bold;">Sobre o Setembro Amarelo</span></span></p><p><span style="color: inherit;">    O Movimento Setembro Amarelo é fruto da parceria entre o Centro de Valorização da Vida (CVV) – uma entidade sem fins lucrativos que atua na prevenção do suicídio desde 1962, membro fundador do Befrienders Worldwide –, a Associação Internacional de Prevenção do Suicídio (IASP), a Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio (Abeps) e outros órgãos internacionais que atuam pela causa.<br></span><span style="color: inherit;">    Juntas, essas instituições divulgam informações sobre a doença, como, por exemplo, os motivos que levam uma pessoa a cometer suicídio e como é possível prevenir o problema. </span></p><div><br></div>Mon, 11 Sep 2017 13:29:18 -0300Amar o próximohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/amar-o-proximohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/amar-o-proximo<p>    A liturgia deste XXIII Domingo do tempo comum nos focaliza a realidade do perdão e do amor: “Amarás a teu próximo como a ti mesmo”. O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, “o amor é o cumprimento perfeito da Lei” (Rm 13, 9c-10). Em todas as leituras deste Dia do Senhor, a Palavra de Deus vem insistir que somos responsáveis uns pelos outros e devemos ser um suporte para os fracos, indecisos, tíbios, apáticos na fé e no seguimento de Jesus.<br><span style="color: inherit;">    A primeira leitura Ez 33,7-9 – A missão do profeta Ezequiel é a missão de cada um de nós: Vigiar e zelar pela vida e felicidade dos próprios irmãos! Somos responsáveis pela transmissão da Palavra de Deus junto a nossos irmãos. O profeta não somente é o porta-voz de Deus, mas também uma sentinela para o povo. A sentinela era alguém que estava de prontidão, que permanecia acordado enquanto todos dormiam. Era alguém que percebia a aproximação de um inimigo ou de um viajante noturno aos portões da aldeia. Esse simbolismo nos ajuda a ver nossa responsabilidade para com as pessoas com as quais convivemos em casa, no trabalho, na vizinhança, nos círculos de amizade, na Igreja.<br></span><span style="color: inherit;">    A Segunda leitura Rm 13,8-10 – enuncia que os Mandamentos da Lei de Deus não são caprichos de Deus! São caminhos seguros de felicidade! Eles não escravizam; pelo contrário, libertam e conduzem para a salvação. O “amor não pratica o mal contra o próximo” e também não quer o mal para os outros. O fato de alguém não fazer nenhum ato de maldade não significa que possa ficar confortável, dizendo a si mesmo: “Não roubei, não matei, logo sou bom para meu próximo”. Quem não pratica o mal, mas omite ou negligencia a responsabilidade pelo outro, não ama verdadeiramente o seu próximo.<br></span><span style="color: inherit;">    No Evangelho Mt 18,15-20 – Jesus não veio para abolir as Leis e os Profetas; Ele veio para aperfeiçoar as normas de Deus. As normas de Deus são sabedoria e caminhos seguros de salvação e de felicidade! Aqui nesta página do Evangelho de hoje, Jesus ensina como corrigir um membro da comunidade. Primeiro, corrigi-lo a sós. Se isso não adianta, é necessário levar consigo uma ou duas testemunhas, conforme a Lei de Moisés (Dt 19,15). Se isso não basta, deve-se apresentar o caso à comunidade eclesial. E se, mesmo assim, o indivíduo não quer ouvir, seja expulso da comunidade, à qual é dado o poder de “ligar (obrigar) e desligar (deixar livre)” (Mt 18,18). Pois quando dois ou três se reúnem em seu nome, Deus está no meio deles (18,19). Diz Jesus: “Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo”(Mt 18,15).Este primeiro momento demonstra o respeito e o amor para com o próximo. Muitas vezes acontece que se espalha o erro da pessoa aos quatro ventos. Esta atitude não é cristã! É necessário rezar, pedindo as luzes do Espírito Santo para saber quando se deve calar… quando se deve falar… e como falar…<br></span><span style="color: inherit;">    O Evangelho deste domingo situa-se no contexto do “sermão sobre a comunidade”, cujos textos são direcionados especificamente para orientar a vida na Igreja. E um tema muito precioso para o Evangelho de Mateus é a correção fraterna, essencial para o crescimento pessoal do cristão na comunidade. O amor cristão não é simplesmente amizade ou simpatia humana, mas o fruto da presença do próprio Espírito de Amor, o Espírito Santo em nós: “O amor de Deus foi derramado nos nossos corações pelo Espírito que nos foi dado! ” (Rm 5,5) É desse amor que fala São Paulo no capítulo 13 da Primeira Carta aos Coríntios; é esse amor que “cobre uma multidão de pecados” (Tg 5,20), é esse amor que é “a plenitude da Lei”. Só ama assim quem se abre para o amor de Cristo, deixando-se guiar e impregnar pelo seu Espírito de amor! A Igreja deve ser o ambiente impregnado desse amor, mais forte que nossas diferenças de temperamento, de opiniões, de modo de agir… “Onde está o amor, a caridade, Deus aí está”; onde o amor reina, o Reino de Deus está presente neste mundo! A Igreja deve ser o lugar do amor, lugar do Reino!<br></span><span style="color: inherit;">    É necessário saber que a correção é um modo de amar, é um modo de preocupar-se com o outro e com a Comunidade que é ferida pelo pecado e o mau exemplo. A correção pode salvar o irmão. Quantos escândalos nas nossas Comunidades poderiam ter sido evitados se houvera a correção no momento oportuno e do modo discreto e sincero que Jesus nos recomenda.<br></span><span style="color: inherit;">    Somos convidados a encarnar a Palavra de Deus em nossa vida. Sendo assim, olhando para a liturgia deste domingo, o Senhor nos chama a praticar o amor e a correção fraterna. Acolher com amor e no amor. Nossa maior preocupação deverá ser de caridade fraterna para conduzir os irmãos que se distanciaram de volta à comunhão com Deus expressa na comunidade crente. Se fizermos isso, certamente a Igreja desempenhará bem seu papel de mediação da boa-nova de Jesus Cristo.</span></p><div><br></div>Sun, 10 Sep 2017 15:04:24 -0300A missão do Bispohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/a-missao-do-bispohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/a-missao-do-bispo<p>    A nossa Arquidiocese recebe mais um Bispo Auxiliar que está sendo ordenado neste final de semana em Cachoeiro de Itapemirim, no Espirito Santo. É uma boa ocasião para refletir, ainda que de modo breve, sobre a importância do Bispo na Igreja, como sinal de unidade e exemplo de serviço ao Povo de Deus a ele confiado. Faz parte da missão que temos em aprofundar e esclarecer catequeticamente aqueles com quem nos relacionamos na missão pastoral. Atenho-me para isso ao Catecismo da Igreja Católica e a textos seletos dos Padres (no sentido de pais da fé) da Igreja. Creio que uma leitura direta da fonte muito ajudará e melhor entender, no campo da fé, a função de um Bispo na Igreja, seja ele auxiliar ou diocesano, ainda que cada um tenha, na prática, funções canônicas diferenciadas.<br><span style="color: inherit;">    Lemos no parágrafo 861 do Catecismo da Igreja Católica a propósito dos Apóstolos: “Para que a missão que lhes fora confiada pudesse ser continuada depois da sua morte, os Apóstolos, como que por testamento, mandaram os seus cooperadores imediatos para levarem a cabo a sua tarefa e consolidarem a obra por eles começada, encomendando-lhes a guarda do rebanho em que o Espírito Santo os tinha instituído para apascentar a Igreja de Deus. Assim, instituíram homens nestas condições e tudo dispuseram para que, após a sua morte, outros homens provados tomassem conta do seu ministério” (Lumen Gentium 20, citando São Clemente de Roma in Cor 42,44).<br></span><span style="color: inherit;">    E continua o mesmo Catecismo a dizer, no n. 862, que “Do mesmo modo que o encargo confiado pelo Senhor singularmente a Pedro, o primeiro dos Apóstolos, e destinado a ser transmitido aos seus sucessores, é um múnus permanente, assim também é permanente o múnus confiado aos Apóstolos de serem pastores da Igreja, múnus cuja perenidade a ordem sagrada dos bispos deve garantir”. Por isso, a Igreja ensina que, “em virtude da sua instituição divina, os bispos sucedem aos Apóstolos como pastores da Igreja, de modo que quem os ouve, ouve a Cristo e quem os despreza, despreza a Cristo e Aquele que enviou Cristo” (Lumen Gentium 20).<br></span><span style="color: inherit;">    Aí está expresso, em suma, tudo aquilo que a Igreja expressa a respeito do Bispo enquanto legítimo sucessor dos Apóstolos e sinal da unidade em uma Igreja Particular. Embora com a colaboração de todos os homens e mulheres no santo Batismo, é em torno do Bispo que a Igreja particular vive porque ele é chamado a bem servir a cada um, inclusive aos não católicos, na caridade.<br></span><span style="color: inherit;">    Daí, escrever Santo Inácio de Antioquia, falecido no ano 107, o que segue: “Segui ao bispo, vós todos, como Jesus Cristo ao Pai. Segui ao presbítero como aos apóstolos. Respeitai os diáconos como ao preceito de Deus. Ninguém ouse fazer sem o bispo coisa alguma concernente à Igreja. Como válida só se tenha a eucaristia celebrada sob a presidência do bispo ou de um delegado seu. A comunidade se reúne onde estiver o bispo e onde está Jesus Cristo está a Igreja católica. Sem a união do bispo não é lícito batizar nem celebrar a eucaristia; só o que tiver a sua aprovação será do agrado de Deus e assim será firme e seguro o que fizerdes” (Cirilo Folch Gomes, OSB. Antologia dos Santos Padres. São Paulo: Paulinas, 1979, p. 43-44).<br></span><span style="color: inherit;">    Também no combate à heresia gnóstica, Santo Ireneu († 202) dizia: “Ora, todos esses hereges são de muito posteriores aos bispos, aos quais os Apóstolos entregaram as Igrejas [particulares]... Necessariamente, pois, tais hereges, cegos para a verdade, mudam sempre de direção e disseminam as doutrinas de modo discordante e incoerente. Ao contrário, o caminho dos que pertencem à Igreja cerca o universo inteiro e, possuindo a firme tradição dos apóstolos, faz-nos ver que todos possuímos a mesma fé” (Contra as Heresias apud Felipe Aquino. Igreja Apostólica no site <a href="http://www.divinoespiritosanto.org/igreja_catolica_apostolica.htm" style="text-decoration-line: underline;">http://www.divinoespiritosanto.org/igreja_catolica_apostolica.htm</a>).<br></span><span style="color: inherit;">    O mesmo Santo Padre da Igreja demostra a importância da sucessão apostólica por meio das seguintes palavras: “Foi inicialmente na Judéia que [os apóstolos] estabeleceram a fé em Jesus Cristo e fundaram igrejas, partindo em seguida para o mundo inteiro a fim de anunciarem a mesma doutrina e a mesma fé. Em todas as cidades iam fundando Igrejas das quais, desde esse momento, as outras receberam o enxerto da fé, a semente da doutrina, e ainda recebem cada dia para serem igrejas. É por isso mesmo que sejam consideradas como apostólicas, na medida em que forem rebentos das igrejas apostólicas. É necessário que tudo se caracterize segundo a sua origem. Assim, essas igrejas, por numerosas e grandes que pareçam, não são outra coisa que não a primitiva Igreja apostólica da qual procedem. São todas primitivas, são todas apostólicas e TODAS UMA SÓ. Para atestarem a sua unidade, comunicam-se reciprocamente na paz, trocam entre si o nome de irmãs, prestam-se mutuamente os deveres da hospitalidade... Desde o momento em que Jesus Cristo, nosso Senhor, enviou os apóstolos para pregarem, não se podem acolher outros pregadores senão os que Cristo instituiu. Pois ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho tiver revelado.” (idem).<br></span><span style="color: inherit;">    Santo Hipólito de Roma (160-235), mártir e autor de belos textos litúrgicos nos deixou a seguinte preciosidade: “Seja ordenado bispo quem for irrepreensível e tiver sido eleito por todo o povo. Uma vez designado e aceito por todos, reúna-se o povo juntamente com o presbitério e os bispos presentes, no domingo. Com o consentimento de todos, imponham os bispos sobre ele as mãos, permanecendo imóvel o presbítero. Mantenham-se todos em silêncio, orando em seu coração pela descida do Espírito. A seguir, um dos bispos presentes, instado por todos, impondo a mão sobre o que é ordenado bispo, reze dizendo: Deus Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que habitas as alturas e baixas o olhar para o que é humilde, tu, que conheces todas as coisas antes de nascerem, tu que destes as leis da tua Igreja pela palavra da tua graça, elegendo desde o princípio a raça dos justos de Abraão, constituindo os chefes e os sacerdotes; tu, que não deixaste sem administração o teu santuário; tu, que desde o início dos séculos te aprouveste em ser glorificado neste que escolheste, derrama agora a força que vem de ti, o Espírito de governo que deste a teu Filho querido, Jesus Cristo, e que Ele concedeu aos santos apóstolos, os quais constituíram por toda parte a tua Igreja, teu Templo, para glória e louvor perpétuo do teu nome. Pai, que conheces os corações, concede a este servo que escolheste para o episcopado, apascentar o teu santo rebanho e desempenhar irrepreensivelmente diante de ti o primado do sacerdócio, servindo-te noite e dia. Concede-lhe tornar incessantemente propícia a tua face, oferecer as oblações da tua santa Igreja e, com o espírito do sacerdócio superior, ter a faculdade de perdoar os pecados segundo a tua ordem, distribuir os cargos segundo o teu preceito; dissolver quaisquer laços, segundo o poder que deste aos apóstolos, ser do teu agrado pela ternura e pureza de coração, oferecendo-te um perfume agradável, por teu Filho Jesus Cristo, pelo qual a ti a glória, o poder e a honra, ao Pai e ao Filho, com o Espírito Santo na santa Igreja, agora e pelos séculos dos séculos. Amém” (Cirilo Folch Gomes, OSB. Antologia dos Santos Padres. São Paulo: Paulinas, 1979, p. 172-173).<br></span><span style="color: inherit;">    Os Bispos para serem considerados legítimos sucessores dos Apóstolos devem ser – de modo válido e lícito – ordenados (fora da cidade de Roma) pela imposição das mãos de um sagrante principal e de mais alguns Bispos, como sinal da colegialidade apostólica, e estar em plena comunhão com toda a Igreja, em união com o Papa e com os demais Bispos no que diz respeito à fé, à liturgia e à pastoral, no que esta tem de essencial. No acidental, há diferentes orientações em cada região ou país.<br></span><span style="color: inherit;">    No entanto há diferenças entre um Bispo e um Apóstolo do Colégio dos 12 que estiveram com o Senhor Jesus. Os teólogos apontam as seguintes distinções: 1) os Bispos não são testemunhas diretas da ressurreição de Cristo, mas a testemunham, de modo indireto, pela fé da Igreja; 2) Não podem, como os Apóstolos, estabelecer tradição normativa de fé, mas devem seguir a grande Tradição bimilenar da Igreja; 3) os Bispos, salvo o de Roma pela função exercida, não têm o carisma da infalibilidade nem a jurisdição, de fato e de direito, sobre a Igreja inteira. Cada qual se limita à sua diocese. O poder infalível dos Bispos só se dá, portanto, enquanto colégio apostólico, em matéria de fé e moral, reunidos em Concílio com anuência do Papa e 4) À exceção do Papa, um Bispo não sucede a um Apóstolo em específico. A sucessão se dá do Colégio dos Apóstolos para O Colégio dos Bispos, de grupo para grupo (cf. Estêvão Bettencourt, OSB. Curso de Eclesiologia. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 1996, p. 139-140).<br></span><span style="color: inherit;">    Portanto, Bispo é Bispo, seja ele auxiliar ou diocesano. O que muda é a função no como o ministério episcopal é exercido. Enquanto o diocesano tem responsabilidade diretiva no serviço ao Povo de Deus a ele confiado, o auxiliar o ajuda nesse serviço em plena, fiel e irrestrita comunhão com ele. Deve-lhe colaboração no trabalho exercido: a distinção canônica apenas divide funções, mas não regula a sucessão apostólica, que é de fé.<br></span><span style="color: inherit;">    Acolhamos como verdadeiro sucessor dos Apóstolos nosso Bispo Auxiliar, Dom Juarez Delorto Secco, que vêm para trabalhar nesta vinha do Senhor que é a nossa querida Arquidiocese do Rio de Janeiro que tem a missão nessa grande e especial cidade. Este Arcebispo e o Povo de Deus acolhe de coração e de braços abertos o novo auxiliar. Seja bem vindo! Ao agradecermos, no dia 7 de Outubro, às 8h30, o nosso Ano Mariano, nós também o receberemos solenemente em nossa Catedral Metropolitana.<br></span><span style="color: inherit;">    Deus nos abençoe e nos leve à meta almejada! </span></p><div><br></div>Sat, 09 Sep 2017 14:44:44 -0300Natividade de Nossa Senhorahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/natividade-de-nossa-senhorahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/natividade-de-nossa-senhora<p>    Temos a graça de celebrarmos neste dia 8 de setembro, a festa da Natividade de Nossa Senhora. A Igreja celebra com júbilo a festa de Nossa Senhora por ser a Mãe de Deus que se faz Homem, por ter dado corpo ao Verbo divino, para que acontecesse a salvação da humanidade.<br><span style="color: inherit;">    D. Marcos Barbosa, OSB assim escreveu: “Salve, Rainha, nós te saudamos pelo dia dos teus anos, a ti, que és a única a fazê-lo eternamente, pois talvez nem passaste pela morte, ou logo a venceste, retirada do sepulcro pelos anjos impacientes. Nós filhos de Eva, que temos a certeza de morrer um dia, te saudamos e convocamos, a cada instante, para a hora, o momento de nossa morte. Queremos-te agora, mas também naquela hora decisiva. Tu, e mais ninguém em teu lugar. Porque só tu podes tudo. Poderás obter que o teu Filho prepare diretamente o nosso coração, se já os outros sacerdotes não lhe tiverem acesso, pela distancia ou enevoado véu que nos envolva. Tu estarás presente. Tu és a mais presente, e não apenas a mais bendita entre as mulheres.”<br></span><span style="color: inherit;">    A celebração do nascimento da Virgem Maria, como disse santo André de Creta (cf. Ofício das leituras), honra a natividade da Mãe de Deus.</span><span style="color: inherit; white-space: pre;"> </span><span style="color: inherit;">“A celebração de hoje é para nós o começo de todas as festas”, afirma o Calendário Litúrgico Bizantino. O nascimento de Maria Santíssima traz ao mundo o anuncio jubiloso de uma boa nova: a mãe do Salvador já está entre nós. Ele é o alvorecer prenunciativo de nossa salvação, o início histórico da obra da Redenção.<br></span><span style="color: inherit;">    São Pedro Damião afirma em sua homilia para essa festa: “Deus onipotente, antes que o homem caísse, previu a sua queda e decidiu, antes dos séculos, a redenção humana. Decidiu Ele encarnar-se em Maria.” Hoje é o dia em que Deus começa a pôr em prática o seu plano eterno, pois era necessário que se construísse a casa, antes que o Rei descesse para habitá-la. Casa linda, porque, se a Sabedoria constrói uma casa com sete colunas trabalhadas, este palácio de Maria está alicerçado nos sete dons do Espírito Santo. Salomão celebrou de modo soleníssimo a inauguração de um templo de pedra. Como celebraremos o nascimento de Maria, templo do Verbo encarnado? Naquele dia a glória de Deus desceu sobre o templo de Jerusalém sob forma de nuvem, que o obscureceu.<br></span><span style="color: inherit;">    Nessa festa o mundo católico admira Nossa Senhora como sendo Ela a aurora que anuncia o Sol de justiça que dissipa as trevas do pecado. Nela, a Igreja convida a “contemplarmos uma menina como todas as outras, e que ao mesmo tempo é única, pois, Ela é a “bendita entre todas as mulheres” (Lc 1, 42), a Imaculada “filha de Sião”, destinada a tornar-se a Mãe do Messias”. (São João Paulo II, Audiência de 8/9/2004).<br></span><span style="color: inherit;">    O Evangelho da Missa da Natividade <span style="font-weight: bold;">Mt 1,1-16.18-23</span> – é o Evangelho da genealogia de Jesus. A genealogia de uma pessoa ou família no contexto cultural de Jesus tinha grande importância jurídica e trazia consequências para a vida social e religiosa: a posição social, a origem racial e a origem religiosa. Mateus sinaliza que Jesus carrega dentro de si a história do povo de Deus da Antiga Aliança nos grandes momentos: patriarcal, real e pós – exílica do Messias. Contudo, vai além da mentalidade judaica e remonta a origem em Abraão. Por isso, a genealogia tem mais função simbólica: como descendente de Davi, Jesus é o portador do reino messiânico e como descendente de Abraão, realiza a esperança da promessa para todos os povos (cf. Gn 12,3; 18,18 – lidos em ótica cristã em Gn 3,8).<br></span><span style="color: inherit;">    As sociedades patriarcais somente o nome do pai consta na descendência da família. As genealogias da Bíblia, com algumas exceções (1 Cr 2,4 e 3,5) não incluem o nome das mães. Mateus cita quatro mulheres, além de Maria. E as citadas não seriam exemplos aos olhos de um moralista: Tamar comete incesto com o sogro (Gn 38,14 – 18); Raab é a prostituta (Js 2,1); a mulher de Urias foi tomada criminosamente por Davi (2Sm 11,1 – 5) e Rute que usou a esperteza para garantir o casamento com Booz ( Rt 3,7 – 15). Contudo, o judaísmo celebrava a justiça e o mérito dessas mulheres (cf. Gn 38,26 = Tamar; Rt 3,10 = Rute; Hb 11,31 e Tg 2,25 = Raab).<br></span><span style="color: inherit;">    São Mateus introduz essas mulheres na corrente originante do    Messias, sublinhando a gratuidade de Deus na sua ação salvadora. Assim como em Maria, em cada caso há uma providência exercida por Deus na escolha de pessoas que vão dar continuidade na linhagem messiânica – o Messias – que vem na contramão de quem quer subjugar o processo histórico, os caminhos de Deus. Neste sentido, através de Tamar, Judá propagou a linhagem messiânica; por meio de coragem de Raab, Israel entrou na terra prometida; através de Rute (= a bisavó) foi gerado Davi; e pela mulher de Urias o trono de Davi passou para Salomão.<br></span><span style="color: inherit;">    Mateus quer realçar a figura de Maria, como instrumento divino no plano messiânico. No v.16, aparece uma ruptura na genealogia: “Jacó gerou José, o esposo de Maria da qual nasceu Jesus chamado Cristo”, que revela a fé da comunidade que acredita na concepção virginal de Deus.<br></span><span style="color: inherit;">    Assim se exprimiu o Padre Antônio Vieira sobre essa celebração:  "Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? Vede o para que nasceu. Nasceu para que d'Ela nascesse Deus. (...) Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança. Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora da Graça; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória. E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus" (Sermão do Nascimento da Mãe de Deus)."<br></span><span style="color: inherit;">    Ao celebrar a festa do nascimento da virgem Maria, também queremos nos reportar este ano em que nós brasileiros temos a graça de celebrarmos os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, junto às margens do Rio Paraíba do sul. Neste momento nasce uma devoção própria em nosso país. Queremos neste dia, confiar a nossa vida Aquela que em tudo fez a vontade de Deus. </span></p><div><br></div>Fri, 08 Sep 2017 14:58:33 -0300Unidos pela evangelizaçãohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/unidos-pela-evangelizacaohttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/unidos-pela-evangelizacao<p>    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi criada no dia 14 de outubro de 1952. A reunião de instalação da CNBB realizou-se aqui no Palácio São Joaquim, com a presença, entre outros, dos cardeais Dom Jaime de Barros Câmara e Dom Carlos Carmelo de Vasconcellos Motta, do Senhor Núncio Apostólico Dom Chiari, além de vários arcebispos como Dom Vicente Scherer, de Porto Alegre, Dom Helvécio Gomes de Oliveira, Arcebispo de Mariana, entre outros. Realizada a eleição para a comissão permanente encarregada de dirigir a entidade, foram escolhidos Dom Scherer, Dom Mário de Miranda Vilas Boas e Dom Antônio Morais de Almeida Júnior, sendo Dom Hélder Câmara designado secretário-geral. Para a presidência, a comissão escolheu o cardeal Dom Carlos Carmelo de Vasconcellos Motta, arcebispo de São Paulo. Foram ainda aprovadas as finalidades gerais do secretariado geral e seu desdobramento em seis secretariados nacionais — de educação, de ação social, de ensino de religião, dos seminários e vocações sacerdotais, do apostolado do leigo e da Liga Eleitoral Católica.<br><span style="color: inherit;">    A origem da CNBB deve-se à atuação determinante de Dom Helder, na época, auxiliar do Rio de Janeiro, reunindo em torno de si pessoas de base e de cúpula. A estrutura e a experiência da Ação Católica moldaram a Conferência Episcopal. Dom Helder contou com o apoio do Núncio Apostólico no Brasil e de Mons. Giovanni Battista Montini (futuro Papa Paulo VI), da Secretaria de Estado do Vaticano. Os cardeais Motta e Câmara apresentaram oficialmente o projeto da CNBB aos bispos, por meio de uma carta, e convidaram os metropolitas para a reunião de fundação. Houve acolhida quase unânime do episcopado brasileiro.<br></span><span style="color: inherit;">    Desde a sua criação até o tempo presente a CNBB, se esforça a cada dia para levar a mensagem do Reino de Deus e também em promover a justiça e a paz procurando ser um canal de comunhão entre os arcebispos e bispos do Brasil. “Além de trabalhar intensamente pela comunhão fraterna entre seus membros, a CNBB tem como missão fomentar o estudo de temas comuns que estimulem a realização da ação evangelizadora em todo o País. Como acontece agora com a oração pelo Brasil sugerida para o dia 7 de setembro. A CNBB faz, também, ações concretas sociais importantes por meio da Campanha da Fraternidade, que acontece anualmente e atende projetos de amparo aos necessitados em cada uma de suas edições. Já são mais de 50 anos e milhares de vidas transformadas” (Inspirado no site: <a href="http://cnbb.net.br/wp-content/uploads/sites/32/2017/08/Release-Coleta-Nacional-JUNTOS-COM-A-CNBB-PELA-EVANGELIZAC%CC%A7A%CC%83.pdf" style="text-decoration-line: underline;">http://cnbb.net.br/wp-content/uploads/sites/32/2017/08/Release-Coleta-Nacional-JUNTOS-COM-A-CNBB-PELA-EVANGELIZAC%CC%A7A%CC%83.pdf</a>. Último Acesso: 03/09/2017).<br></span><span style="color: inherit;">    “No campo político-social, o posicionamento responsável por parte do episcopado tem dado frutos. Um exemplo histórico foi a participação na apresentação na chamada Lei da Ficha Limpa. Grande responsável pela coleta de 1,5 milhão de assinaturas que resultou no Projeto de Lei, depois aprovado pelo Congresso Nacional, a CNBB também busca atuar com vigilância e zelo na busca da justiça e da paz diante do contexto político do país. A Lei da Ficha limpa é um sinal eficaz da união dos pastores da Igreja e do povo na busca pela coerência e verdade para que a política seja, de fato, um serviço à população”. (Retirado do site: <a href="http://cnbb.net.br/wp-content/uploads/sites/32/2017/08/Release-Coleta-Nacional-JUNTOS-COM-A-CNBB-PELA-EVANGELIZAC%CC%A7A%CC%83.pdf" style="text-decoration-line: underline;">http://cnbb.net.br/wp-content/uploads/sites/32/2017/08/Release-Coleta-Nacional-JUNTOS-COM-A-CNBB-PELA-EVANGELIZAC%CC%A7A%CC%83.pdf</a>. Último Acesso: 03/09/2017).<br></span><span style="color: inherit;">    Atualmente a sede da CNBB, está localizada em Brasília, no setor de embaixadas da capital, ao lado da Nunciatura Apostólica no Brasil, e acolhe leigos, bispos, padres, além de mais de 80 colaboradores que trabalham na realização dos projetos e no caminho de evangelização. A Respeito da CNBB, disse o vice-presidente Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger: “Aqui, na verdade, é um Centro de Evangelização que faz refletir isso pelo Brasil todo. Porém, nossa construção foi feita há mais de 40 anos e está com sérios problemas. Precisamos da ajuda de todos”. O presidente da CNBB, Cardeal Dom Sérgio da Rocha, também falou: “A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil é um instrumento muito valioso de comunhão, de unidade e de animação da ação evangelizadora e pastoral”.<br></span><span style="color: inherit;">    O prédio da CNBB foi construído ha mais de quarenta anos e por isso precisa fazer uma reforma urgente, pois, tem sérios problemas. Para isso, nós Bispos, na última Assembleia geral da CNBB, realizada entre 26 de abril e 5 de maio em Aparecida, após a exposição do secretario geral, tomamos a decisão de fazer uma coleta para angariar fundos para essa necessária reforma. A coleta terá participação de todas as comunidades, espalhadas por todas as Arquidioceses, dioceses e prelazias de nosso país. A coleta será neste próximo domingo, dia 10 de setembro.<br></span><span style="color: inherit;">    Sabemos da difícil situação econômica do nosso país e das nossas famílias, mas, na certeza de que a partilha de muitos faz a solução acontecer, por isso, desde já agradeço pela generosidade do nosso povo, já demonstrada em outras ocasiões. Quando nós repartimos fazemos a experiência de ver, na graça de Deus, multiplicar do que oferecemos com carinho e corresponsabilidade pela ação evangelizadora da Igreja no Brasil. Essa causa é de todos nós! </span></p><div><br></div>Fri, 08 Sep 2017 14:50:28 -0300São Jerônimo e a Sagrada Escriturahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/sao-jeronimo-e-a-sagrada-escriturahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/sao-jeronimo-e-a-sagrada-escritura<p>    A Igreja no Brasil dedica o mês de setembro a Bíblia - tema: “Para que nele nossos povos Tenham vida” e com o lema: “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (1Ts 2,8). É um dos meses temáticos e que nos motiva a viver acolhendo sempre em nossas vidas a Palavra de Deus. Neste ano aprofundamos a 1ª Carta de Paulo aos Tessalonicenses.  No último domingo deste mês comemoraremos também o Dia Nacional da Bíblia. Toda essa motivação vem do fato da Igreja celebrar em 30 de setembro a memória do grande santo e doutor da Igreja, São Jerônimo, que a pedido do Papa Dâmaso (366-384) preparou uma tradução da Bíblia em latim, a partir do hebraico e do grego; a chamada Vulgata. Foi um trabalho gigantesco que demandou cerca de 35 anos isolado nas grutas de Belém, onde ele fazia esse oficio, vivendo uma austera vida de oração e penitência.<br><span style="color: inherit;">    Conhecer a Palavra de Deus é fundamental para todo cristão. A Carta aos hebreus diz que “a Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes, e atinge até à divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,12). Jesus conhecia profundamente as Escrituras (o Antigo Testamento).  Isso é o suficiente para que todos nós façamos o mesmo. Na tentação do deserto ele venceu o demônio lançando em seu rosto, por três vezes, a santa Palavra.  Quando o tentador pediu que Ele transformasse as pedras em pães, para provar Sua filiação divina, Jesus lhe disse: “O homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor” (Dt 8,3c).<br></span><span style="color: inherit;">    A palavra de Deus é transformadora, santificante. São Paulo explica isso a seu jovem discípulo Timóteo, com toda convicção: “Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para persuadir, para corrigir e formar na justiça” (2Tm 3,16). Ela é, portanto, um instrumento indispensável para a nossa santificação. Não conseguiremos ter “os mesmos sentimentos de Cristo” (Fl 2,5) sem ouvir, ler, meditar, estudar e conhecer a sua santa palavra. São Jerônimo, dizia que “quem não conhece o Evangelho não conhece Jesus Cristo”. Jesus nos ensina que “a Escritura não pode ser desprezada” (Jo 10,34). São Paulo recomendava a Timóteo”: “aplica-te à leitura da Palavra” (1Tm 4,13). Ela não é palavra humana, mas “palavra de Deus... que age eficazmente em vós” (1Ts 2,13).<br></span><span style="color: inherit;">    Para termos os textos bíblicos hoje traduzidos em nossas línguas vernáculas temos que reportar ao grande homem que foi o grande tradutor dos originais para a língua da época, e que para ser fiel ao contexto, também viveu na Terra Santa dezenas de anos: São Jerônimo (347-420), chamado de “Doutor Bíblico”. Ele nasceu na Dalmácia e educou-se em Roma; é um dos Padres da Igreja latina; sabia o grego, latim e hebraico. Em sua juventude dedicando muito tempo a autores clássicos, quase nunca encontrava ocasião para as leituras cristãs. Totalmente posto nessa situação nada conveniente, ele, contudo, não tinha rompido com os princípios que conhecera na infância, não havia, de todo, cortado os laços com suas raízes cristãs. Tempos mais tarde, Jerônimo admitiu que essa sua atitude o tinha colocado fora do verdadeiro caminho. Apesar disso ele recordava também que Deus não o havia abandonado nunca e que o guiava constantemente. Foi por essa ocasião que ele tornou-se catecúmeno. Continuava seus estudos e preparava-se para ser batizado. Seus domingos em Roma consistiam em constantes visitas às catacumbas. Ali ele meditava sobre a fé dos mártires, admirava a atitude deles e venerava suas relíquias.<br></span><span style="color: inherit;">    Jerônimo recebeu o santo batismo na idade adulta. Ele foi batizado pelo Papa Libério. Já como cristão batizado, ele fez uma viagem de estudos pelas Gálias. Para acompanhá-lo levou consigo seu irmão de leite Bonoso. Jerônimo quis visitar Jerusalém. Queria caminhar pela Terra Santa, venerar os lugares que foram santificados pela presença de Nosso Senhor. Aproveitou a ocasião de sua estada em Jerusalém para aprofundar seus conhecimentos da língua hebraica, ele desejava ter um meio a mais para conhecer melhor as Sagradas Escrituras. Assim, poderia ter mais segurança nas respostas às questões que o Papa São Dâmaso lhe fazia constantemente a respeito de passagens difíceis dos Livros Sagrados.<br></span><span style="color: inherit;">    Depois viveu alguns anos na Palestina como eremita. Em 379, foi ordenado sacerdote pelo bispo Paulino de Antioquia; foi ouvinte de São Gregório Nazianzeno e amigo de São Gregório de Nissa. De 382 a 385 foi secretário do Papa São Dâmaso. Pregava o ideal de santidade entre as mulheres da nobreza romana (Marcela, Paula e Eustochium) e combatia os maus costumes do clero. Na figura de São Jerônimo destacam-se a austeridade, o temperamento forte, o amor a Igreja e à Sé de Pedro.<br></span><span style="color: inherit;">    Seus últimos 35 anos ele os passou em uma grande cova, próxima à Gruta do Presépio. Ali continuou, até a morte, seus estudos e trabalhos bíblicos e com muita energia ainda escrevia contra os hereges que se atreviam a negar as verdades da Santa Igreja Católica, entre eles Helvídio e Joviano. No dia 30 do mês de setembro do ano 420, falece São Jerônimo. Contudo, o trabalho de São Jerônimo abrangeu praticamente sua vida toda. Ele escrevia com elegância clássica o latim e traduziu a Bíblia inteira. Daí foi que surgiu a texto da Bíblia conhecido como "Vulgata", que significa "de uso comum" ou ainda a língua “vulgar” da época. Essa tradução foi usada largamente em quase quinze séculos. Seu texto tornou-se oficial com o Concílio de Trento e só cedeu o lugar nos últimos tempos, depois de estudos linguísticos exegéticos mais recentes.<br></span><span style="color: inherit;">    A luz da Palavra de Deus nos ajuda a refletir “sobre os diversos problemas humanos e amadurecer opções responsáveis inspiradas no amor universal de Cristo”.(Cf. Ecclesia in America, 41). Colocando a Palavra de Deus em concreto na nossa ação pastoral nós vamos assumir a realidade (encarnação) e anunciar o Reino de Justiça e Vida (redenção) respondendo aos desafios que nos apresenta a sociedade (evangelização).<br></span><span style="color: inherit;">    O contato direto, orante e contextual com a Palavra de Vida que a Sagrada Escritura oferece, deve conduzir-nos a um compromisso sério de fraternidade e solidariedade. Um importante desafio da animação bíblica é implementar caminhos e meios que ajudem a impulsionar e iluminar a ser uma Igreja em saída, comprometida com os mais pobres e humildes, samaritana quando enxuga a dor dos que sofrem e vivem à margem da sociedade, mais profundamente comprometida com uma renovação, Igreja sempre em reforma, para atualizar a Palavra de Deus, que é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos.<br></span><span style="color: inherit;">    Que, Nossa Senhora Aparecida, no seu tricentenário, nos ajude, iluminados pela Palavra de Deus e pela intercessão de São Jerônimo, a viver esta via de discipulado e de testemunho da Santíssima Trindade em nosso país que necessita trilhar caminhos novos. Amém!</span></p><div><br></div>Wed, 06 Sep 2017 16:07:19 -0300Iluminação verde em homenagem ao profissional de Educação Físicahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/iluminacao-verde-em-homenagem-ao-profissional-de-educacao-fisicahttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/iluminacao-verde-em-homenagem-ao-profissional-de-educacao-fisica<p>    O Cristo Redentor ganhou, na sexta-feira, 1º de setembro, das 18h30 às19h30, a cor da Educação Física, em comemoração ao dia da profissão. O Monumento foi iluminado de verde, com o objetivo de, pela primeira vez, alertar a sociedade sobre a importância da prática regular de exercícios físicos. A ação foi resultado de uma parceria entre o Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro e Espírito Santo (CREF1) e a Arquidiocese do Rio de Janeiro.<br><span style="color: inherit;">    — É fundamental o comprometimento de cada um com a própria saúde. Por isso, encontrar um tempo, dentre as muitas atividades do cotidiano, para a prática de exercícios físicos faz uma grande diferença no que diz respeito a uma vida saudável. Um bom profissional de Educação Física sempre pode ajudar, lembrou o reitor do Santuário Cristo redentor, Padre Omar Raposo.<br></span><span style="color: inherit;">    Para além da alteração na rotina alimentar, os exercícios físicos são fortes aliados na mudança da condição corporal. Praticar exercícios físicos tem reflexos positivos no reforço da musculatura e do sistema cardiovascular, assim como no aperfeiçoamento das habilidades atléticas. A prática estimula o sistema imunológico, ajuda a prevenir doenças cardíacas, modera o colesterol, melhora a saúde mental e ajuda a prevenir a depressão. E, independente da área em que o profissional de Educação Física atue, o zelo pela vida é fundamental. Seu trabalho sempre está diretamente relacionado à promoção da saúde e ao aumento da qualidade de vida da população.<br></span><span style="color: inherit;">    Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que, em 2025, o mundo terá cerca de 2,3 bilhões de adultos com sobrepeso e mais de 700 milhões de obesos. No Brasil, a obesidade vem crescendo cada vez mais. Alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso. Entre crianças, estaria em torno de 15%.<br></span><span style="color: inherit;"><br><span style="font-weight: bold;">Sobre o Dia do Profissional de Educação Física</span></span></p><p><span style="color: inherit;">A data é voltada para a valorização e o entendimento dos vários segmentos que englobam a profissão. A celebração ocorre neste dia por coincidir com a aprovação da Lei Federal nº 9696, em 1 de setembro de 1998, que regulamentou a Profissão de Educação Física e criou os Conselhos Federais e Regionais de Educação Física. O primeiro de todos a ser instituído foi o Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região do Rio de Janeiro e Espirito Santo (CREF1), um dos representantes mais ativos da categoria, que transformou o Estado na capital nacional da Educação Física.</span><br></p>Mon, 04 Sep 2017 16:21:01 -0300Seguir o Senhorhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/seguir-o-senhorhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/seguir-o-senhor<p>    Iniciamos o mês de setembro, mês temático que no Brasil dedicamos a Sagrada Escritura. A liturgia deste XXII domingo do tempo comum, nos leva a refletir sobre a nossa caminhada com Deus. Em Mt 16, 21-27, Jesus anuncia aos discípulos a sua Paixão e Cruz e avisa que o caminho dos discípulos é semelhante. Pedro não concorda e começa a “repreendê-Lo”. Jesus no Evangelho vai dizer aos seus seguidores: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga” (Mt 16, 24b).<br><span style="color: inherit;">    A primeira leitura Jr 20, 7-9 – o versículo que nos ilumina é: “Seduziste-me, Senhor, e deixei-me seduzir; foste mais forte, tiveste mais poder. Tornei-me alvo de irrisão o dia inteiro, todos zombam de mim” (Jr 20,7). Vemos que o profeta Jeremias reluta e reclama da dificuldade que ele está tendo para anunciar a Palavra de Deus, mas, Deus mesmo assim o seduz e por isso o profeta tem em Deus uma força interior para continuar mesmo em meio as dificuldades a levar seus ensinamentos. Deus de maneira nenhuma abandona os seus, mas, coloca-se ao lado de cada mensageiro.<br></span><span style="color: inherit;">    A segunda leitura Rm 12, 1-2 – nos mostra que devemos moldar a nossa vida conforme a vontade de Deus. “Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar, para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada, o que é perfeito!” (Rm 12, 2). Aqui lembramos que cada um de nós deve ser fermento na massa, ou seja, em meio as várias situações onde existem atitudes que fogem do comportamento cristão e ético, devemos iluminar com a nossa prática diária a nossa vida e a vida daqueles que nos cercam. O grande exemplo é Cristo Jesus. Ele em meio a tantas injustiças, anunciou que não devemos pactuar com o erro, mas, devemos reconhecer que somos pecadores e assim se colocar num caminho-processo de conversão. Em todas as nossas ações e atitudes, devemos sempre nos perguntar: estou fazendo a vontade de Deus? O que o Senhor faria em meu lugar? Se fizemos o bem e pregamos o amor, estamos no caminho, mas, se por ventura fraquejamos, tenhamos força no Senhor para fazer à vontade d’Ele. É necessário sempre para cada um de nós a humildade e a força de sempre fazer a vontade de Deus.<br></span><span style="color: inherit;">    No Evangelho de Mt 16, 21-27 –  “Jesus começou a mostrar a seus discípulos que devia ir à Jerusalém e sofrer muito da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia”. Aqui no Senhor, mostra para seus seguidores tudo aquilo que vai acontecer com Ele. Mas, Pedro se coloca da seguinte maneira: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isto nunca te aconteça”. Levado pelo sua concepção de Messias, Simão procura afastá-Lo do caminho da Cruz, sem compreender ainda que ela será um grande bem para a humanidade e a suprema demonstração do amor de Deus por nós.<br></span><span style="color: inherit;">    O Evangelho fala de duas lógicas sem acordo: não se pode abraçar a sede louca do mundo de se dar bem a qualquer custo, de possuir tudo, de viver sempre no sucesso e no acordo com todos e, ao mesmo tempo, ser fiel ao Evangelho, tão radical, tão contra a corrente. Vale para nós – valerá sempre – o desafio de Jesus: “Que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida? O que poderá alguém dar em troca de sua vida?” Queridos irmãos e irmãs, olhem o Cristo, pensem no seu caminho e escutem a palavra do Senhor a nós, seus discípulos: “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la!” Renunciar-se, tomar a cruz por causa de Jesus… por causa dele! Não há, não pode haver outro caminho para um cristão! Qualquer outra possibilidade é ilusão humana!<br></span><span style="color: inherit;">    Contudo, somos convidados a sempre fazer a vontade de Deus e assim trilhar o seu caminho sem esquecer a nossa cruz. Assim, nos diz o saudoso São João Paulo II: “A Cruz é o livro vivo em que aprendemos definitivamente quem somos e como devemos atuar. Este livro está sempre aberto diante de nós” (Alocução, 01/04/1980). Seguir Cristo é entrar no seu caminho, é, em união com ele, fazer-se sacrifício agradável a Deus, deixando-se guiar e queimar pelo Espírito do Cristo crucificado e ressuscitado.</span></p><div><br></div>Sun, 03 Sep 2017 16:39:04 -0300Palavra eficazhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/palavra-eficazhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/palavra-eficaz<p>    Entramos em setembro, mês da Bíblia, que lembra com ênfase a importância da Palavra de Deus em nossa fé. A data foi criada em 1971, com a finalidade de instruir os fiéis sobre as Escrituras Sagradas. O mês escolhido se deve ao fato de celebramos no dia 30, a memória de São Jerônimo, patrono dos estudos bíblicos, que traduziu dos originais a Escritura, além de grandes e importantes comentários sobre a mesma. O domingo próximo a essa data é também o Dia Nacional da Bíblia.<br><span style="color: inherit;">    Cada ano tem um tema, um lema e um livro da Bíblia a aprofundar. Neste ano o tema do Mês da Bíblia é “Para que n’Ele nossos povos tenham vida” (dentro da sequência de continuar com o tema da V Conferência do Episcopado Latino Americano e Caribenho em Aparecida vivido há dez anos). O lema é “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (este retirado do texto da primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses que é o livro a ser aprofundado este ano. Durante os últimos anos temos tido os temas deste mês insistindo do tema do Documento de Aparecida de 2007, intitulado “Discípulos missionários de Jesus Cristo (foram temas de anos anteriores), para que n’Ele nossos povos tenham vida (são os temas destes anos atuais)” (Retirado do site: <a href="http://cnbb.net.br/cnbb-lanca-subsidios-para-o-mes-da-biblia-celebrado-em-setembro/" style="text-decoration-line: underline;">http://cnbb.net.br/cnbb-lanca-subsidios-para-o-mes-da-biblia-celebrado-em-setembro/</a> Acesso: 31/08/2017).<br></span><span style="color: inherit;">    O texto-base deste mês oferece caminhos para compreender a Primeira Carta de Paulo aos Tessalonicenses, que deve ser aprofundada neste mês. Ela retrata uma comunidade nos inícios do Cristianismo, com dificuldades, resistências e superações. Tal comunidade está inserida na periferia de uma grande cidade do Império Romano, Tessalônica, onde busca-se transformar a sociedade vigente, com a força do anúncio do Evangelho.<br></span><span style="color: inherit;">    É bom lembrar que, algumas vezes, quando se fala da Bíblia, se recorre a um monte de termos e elementos que falam da sua importância apenas indiretamente: a Palavra, os Textos Sagrados, o Antigo Testamento, o Novo Testamento, os Livros Sagrados, etc, porém não podemos nos esquecer que autor dessa palavra é o próprio Deus. Este mês não é apenas o mês de um livro. É o mês que nos lembra a revelação de Deus cumprida totalmente em Jesus Cristo, o Verbo, Palavra eterna que se fez carne e cujas experiências, profecias e anúncios se encontram escritos nas Escrituras.<br></span><span style="color: inherit;">    A Bíblia é comunicação do caminho da salvação de Deus com seu povo e do povo com seu Deus. Antes de a Bíblia ser aula de história, ser testamento dos feitos de Deus na história humana, ser patrimônio da fé judaica e cristã, a Bíblia é atual e constante comunicar de Deus. Deus já falou ao ser humano diversas vezes e de diversos modos, porém, de uns tempos para cá, sua comunicação ficou mais evidente. A Bíblia, em Cristo, tornou-se uma comunicação muito íntima de Deus, pois Ele fala, e se revelou plenamente em Jesus Cristo, o rosto humano de Deus.<br></span><span style="color: inherit;">    Assim, entenda-se a voz de Deus não apenas nas letras, no papel, no livro, mas no mundo. A comunicação de Deus está em todo lugar. Ele sempre fala à sua criatura, mas para entender essa fala é preciso ter este livro aberto (a Bíblia) e o coração disposto a ouvir. Se por um lado a comunicação de Deus Pai através do Filho é mais personalizada e explícita, por outro, essa comunicação através da Bíblia exige de nós uma atenção mais dedicada. Sendo assim, um modo de prestar atenção naquilo que Deus nos fala na Bíblia não é apenas “lê-la”, mas é, principalmente, “rezá-la”. Isso porque a palavra puramente lida precisa da atualização através do ensinamento da Igreja e do toque do Espírito Santo que ensina a ouvir do jeito certo.</span></p><div><br></div>Sat, 02 Sep 2017 16:32:43 -0300Rosário das Mil Ave-Mariashttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/rosario-das-mil-avemariashttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/rosario-das-mil-avemariasTodo primeiro sábado de cada mês, a Comunidade Nossa Senhora do Silêncio reza as mil Ave-Marias, das 7h às 12h, no Santuário Cristo Redentor. <br><br> <p><br></p>Sat, 02 Sep 2017 00:00:00 -0300Oração pelo Brasilhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/oracao-pelo-brasilhttps://cristoredentoroficial.com.br/noticias/oracao-pelo-brasil<p>    A Igreja Católica estará unida rezando pelo Brasil no dia da Pátria. Todas as Dioceses unidas na intercessão pela paz e fraternidade em nosso país. Segundo a sugestão da CNBB deve ser um dia de jejum e oração. O resultado do jejum será a entrega de alimentos para os necessitados. Este momento foi proposto para comemorar o dia 7 de setembro (Independência do Brasil). Iremos pedir a Deus para que ilumine e abençoe todo o nosso país, sobretudo nesta ocasião: “Vivemos um momento difícil e de apreensão no Brasil. A realidade econômica, política, ética vem acompanhada de violência e desesperança”.<br><span style="color: inherit;">    Na carta dirigida à Igreja do Brasil, a CNBB esclarece: “a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam”. Todas as pessoas de boa vontade que querem a solução para o futuro do país, além dos esclarecimentos, das cobranças e sugestões, somos convidados a nos dirigir a Deus, em quem acreditamos, para que possamos ter dias melhores para todos. Estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é importante para a transformação do País, porém, devido a tantas situações lamentáveis de corrupção, acaba-se por rejeitar todas as pessoas e soluções. Não podemos aceitar no “quanto pior, melhor” e nem tampouco a única preocupação com o poder sem a principal busca que é o bem comum.  “Nós esperamos que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade”. (Retirado do site: <a href="http://cnbb.net.br/presidencia-da-cnbb-estimula-jornada-de-oracao-e-jejum-pelo-brasil-por-ocasiao-do-dia-da-patria/" style="text-decoration-line: underline;">http://cnbb.net.br/presidencia-da-cnbb-estimula-jornada-de-oracao-e-jejum-pelo-brasil-por-ocasiao-do-dia-da-patria/</a> Acesso: 28/08/2017).</span></p><p><span style="color: inherit;">    O tema escolhido para esse dia: “Vida em primeiro lugar”, </span><span style="color: inherit;">“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco). </span></p><p>    São as seguintes sugestões de intercessões: </p><p>    Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.</p><p>Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</p><p>Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.</p><p><span style="font-weight: bold;">Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</span></p><p>    Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.</p><p><span style="font-weight: bold;">Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</span></p><p>    Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.</p><p><span style="font-weight: bold;">Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</span></p><p>    Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.</p><p><span style="font-weight: bold;">Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</span></p><p>    Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.</p><p><span style="font-weight: bold;">Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!</span></p><p>    Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.</p><p>    Amém!</p><p>    (Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!).</p><p>(Retirado do site:http://cnbb.net.br/presidencia-da-cnbb-estimula-jornada-de-oracao-e-jejum-pelo-brasil-por-ocasiao-do-dia-da-patria/ Acesso: 28/08/2017).</p><p>    Que nesta semana dedicada à Pátria (de 1° a 7 de setembro), rezemos em nossa Arquidiocese pela paz em nosso país. Peçamos a Virgem Maria Aparecida, Padroeira do Brasil, neste ano que estamos celebrando os 300 anos de seu encontro no Rio Paraíba do Sul, para que interceda por nós para que sejamos promotores da paz e fraternidade.</p><div><br></div>Fri, 01 Sep 2017 17:04:49 -0300Iluminação Cor Verdehttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-cor-verdehttps://cristoredentoroficial.com.br/eventos/iluminacao-cor-verdeA Arquidiocese do Rio de Janeiro, em parceria com o Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região (CREF1) do Rio de Janeiro e Espírito Santo, vai iluminar o monumento ao Cristo Redentor na cor verde, das 18h30 às 19h30, com o objetivo de lembrar a sociedade sobre a importância da prática de exercícios físicos para combater a obesidade, as doenças degenerativas e prolongar a vida. <br><br> <p><br></p>Fri, 01 Sep 2017 00:00:00 -0300