Cristo Redentor pela prevenção ao suicídio

    No domingo, 10 de setembro, o Monumento ao Cristo Redentor recebeu iluminação especial na cor amarela em alerta ao Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data fez parte do Movimento Setembro Amarelo, criado há dois anos. A iniciativa visou chamar a atenção para o suicídio – um problema de saúde pública, que, silenciado pelo tabu, cresce em número de vítimas.
    Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 32 brasileiros suicidam por dia, taxa superior à das vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Por se tratar de um mal silencioso, as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não veem os sinais de alguém próximo que possa estar com ideias suicidas.
    A esperança está no fato de que nove em cada 10 casos podem ser prevenidos. Para que esses números se tornem realidade, é necessário que a pessoa busque ajuda e atenção de quem está à sua volta.

Sobre o Setembro Amarelo

    O Movimento Setembro Amarelo é fruto da parceria entre o Centro de Valorização da Vida (CVV) – uma entidade sem fins lucrativos que atua na prevenção do suicídio desde 1962, membro fundador do Befrienders Worldwide –, a Associação Internacional de Prevenção do Suicídio (IASP), a Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio (Abeps) e outros órgãos internacionais que atuam pela causa.
    Juntas, essas instituições divulgam informações sobre a doença, como, por exemplo, os motivos que levam uma pessoa a cometer suicídio e como é possível prevenir o problema.