Santuário Cristo Redentor celebra Outubro Rosa

*Por Aline Soares

    “No ano passado, nós tivemos o depoimento de uma paciente que marcou muito. Ela havia acabado de receber o diagnóstico de câncer de mama e disse que neste dia se sentiu muito sozinha. Olhando a iluminação rosa do Cristo Redentor, ela entendeu que outras mulheres estavam passando pela mesma coisa naquele momento e isto deu força a ela”. O depoimento da presidente voluntária da Fundação Laço Rosa, Marcelle Medeiros, emocionou a todos na noite de 3 de outubro.
    A iluminação do Monumento ao Cristo Redentor na cor rosa é uma das mais antigas do Santuário. A parceria entre a Fundação Laço Rosa e a Arquidiocese do Rio de Janeiro visa chamar a atenção para a detecção precoce do câncer de mama e dar força a todas as mulheres que passam por este difícil momento.
    O evento teve início na estação do Trem do Corcovado. Este ano, as atrizes Camila Pitanga e Tainá Müller e a top model Fernanda Motta apadrinharam a campanha Outubro Rosa, que se estende por todo o mês. Outra novidade foi a bailarina Andrea Raw, que apresentou uma coreografia especial no evento, embalada pela Orquestra Maré do Amanhã (um projeto que ensina música clássica a crianças e adolescentes de comunidades em risco social), ao som de músicas clássicas e contemporâneas, como “Show das poderosas”, da cantora Anitta.
    Após a apresentação, todos chegaram aos pés do Monumento ao Cristo Redentor pelo trem do Corcovado. Uma benção aos presentes foi dada pelo reitor do Santuário, Padre Omar Raposo, precedendo a iluminação especial. Na ocasião, a atriz Camila Pitanga expressou ao Sacerdote e a todos os presentes a emoção de ter sido escolhida como madrinha da campanha.
    – Obrigada, Padre Omar, por tocar o coração de todo mundo com suas palavras. Isto só fortalece a rede, como se esta energia estivesse emanando aqui por todas estas mulheres. Eu agradeço muito por estar aqui, obrigada a todas, disse Camila.
    A top model Fernanda Motta declarou também a emoção em receber o convite para ser madrinha da campanha este ano, principalmente por ter vivenciado casos de câncer de mama na família.
    – É um meio de ajudar muitas pessoas, de uma forma leve, fácil e com muita informação. Nós estamos lotadas de mulheres cheias de energia, de vontade de viver. Pessoas que tiverem a oportunidade de fazer o tratamento e vencer a doença. Eu estou muito emocionada e feliz de estar aqui.
    Para Patricia Bulle, gerente-geral da Fundação Laço Rosa, a paixão por trabalhar na fundação se baseia na seriedade e no comprometimento de poder fazer algo no coletivo, não só no resgate da autoestima das pacientes, como também no âmbito das questões de políticas públicas.
    – Embora sejamos conhecidas como Banco de Perucas Online no Brasil, o mais fantástico é trabalharmos com ações de advocacy. Nós mapeamos, pegamos as questões de cada região e brigamos por um melhor acesso à saúde da mulher, uma melhor qualidade de vida. Iluminar o Cristo Redentor de rosa, para a gente, é muito importante por ser um símbolo internacional e chamar a atenção de muitas pessoas. Assim, as mulheres veem que elas não estão sozinhas. É um alerta, não só agora, em outubro, mas o  ano inteiro, pela importância da detecção precoce. O câncer de mama é o que mais mata mulheres no mundo e coloca nosso estado como segundo maior em mortalidade. A gente só consegue mudar isso se nos unirmos e fizermos movimentos assim, como este, com a Arquidiocese do Rio nos abraçando, nos permitindo estar aqui todo ano iluminando o Cristo Redentor, declarou Patrícia.
    Marcelle Medeiros, presidente voluntária da Fundação, reforçou a questão da melhoria das políticas públicas para a saúde da mulher.
    – O esforço de todo mundo é justamente para gritar que o Brasil precisa de políticas públicas decentes. As pessoas precisam ter acesso à informação, à igualdade de tratamento e, principalmente, a esta fé que acolhe não só o paciente, mas também seus familiares.
    Entre as vitoriosas presentes, estava Paola Nunes. Diagnosticada com câncer de mama no ano passado, Paola, usando um lenço florido na cabeça, hoje é voluntária da Fundação Laço Rosa, onde encontrou o apoio necessário para superar a doença.

    – A única coisa que eu não queria era ver o meu cabelo cair. Eu tinha um cabelo praticamente na cintura. Depois que fiz a operação e fui liberada pelo médico para lavar o cabelo, fui direto ao salão de beleza e falei “pode cortar que eu vou doar o meu cabelo”. À princípio, eu queria saber para onde poderia doar. Fiz o cadastro no banco online de perucas. Depois que eu já estava em tratamento, procurei a Fundação e hoje eu sou voluntária. Meu tratamento acaba agora no final do ano, compartilhou Paola.
    O reitor do Santuário, Padre Omar, reforçou a importância desta iluminação para o Santuário e para o fortalecimento da causa defendida pela Fundação Laço Rosa, desde 2011.
    – Antes de termos esta tecnologia dos leds, que dá cor ao Monumento, nós colocávamos gelatinas nos refletores iluminando o Cristo Redentor em rosa e ativando esta campanha mundial de sensibilização, trazendo este diagnóstico tão importante para que toda mulher possa, de fato, perceber a saúde como um dom e superar o medo de enfrentar a enfermidade, de se sentir sozinha. Mais do que nunca, a nossa oração e a nossa presença é de grande valor para ampliar a visibilidade que a campanha Outubro Rosa se propõe a alcançar.

Sobre a Fundação Laço Rosa

    O câncer de mama é o tipo mais frequente nas mulheres brasileiras. Para ampará-las neste momento difícil foi criada a Fundação Laço Rosa, no ano de 2011 — uma instituição sem fins lucrativos, que nasceu a partir da emocionante história de vida de três irmãs, e que hoje se destaca não só no Brasil, mas internacionalmente, na disseminação da informação de qualidade, na influência de políticas públicas para o câncer de mama e na defesa de direitos de pacientes e resgate da autoestima.
    Além do pioneiro Banco de Perucas Online — um projeto de doação gratuita de perucas pela internet para pacientes em quimioterapia, que já atendeu milhares de famílias —, a Fundação está à frente de iniciativas como a Rosas do Morro, que leva a comunidades carentes informações sobre a doença e os direitos da mulher, e o Fórum de Políticas Públicas Câncer de Mama, desenvolvido por seu núcleo Advocacy. Este ano, seu portal também ganhou um novo formato, passando a ser uma plataforma interativa, dinâmica e de fonte segura, que aborda desde assuntos científicos a comportamento feminino. Um espaço inédito para acolher o paciente com câncer de mama e as pessoas que vivem ao redor dessa doença.
(Fonte: site oficial da Fundação Laço Rosa | http://www.fundacaolacorosa.com/)

1
2
3
7
5
4
8
10
11
12
C
B
A
13
D
E
F
G

*Fotos: Aline Soares